quarta-feira, 3 de julho de 2013

EDITAL DA CAIXA ECONÔMICA FEDERAL



O SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ESTABELECIMENTOS BANCARIOS DE NOVA FRIBURGO , CGC Nº 30.557.946.0001/14, por seu presidente, comunica a todos (as)  os empregados (as) da Caixa Econômica Federal, da base de Nova Friburgo , Cachoeiras de Macacu,  Bom Jardim, Cantagalo, Comunica a abertura do processo eleitoral para eleição de Delegado (a) Sindical do mencionado banco, cujo mandato será de 01 de agosto de 2013 à  31 de julho de 2014, informando que será observado o seguinte cronograma: Inscrições: do dia 12/07/2013 à 19/07/2013, devendo a ficha de inscrição do candidato ser entregue à Secretaria do Sindicato dos Bancários até o último dia da inscrição. Candidatos(as): deverão ser sindicalizados e aqueles que não forem, poderão se sindicalizar até o final do prazo da inscrição para concorrerem ao pleito de Delegado (a) Sindical. Eleição: Para a agência Cachoeiras de Macacu,dia 24/07/2013 ; para agencia Nova Friburgo, dia 25/07/2013; para s agencias de Olaria e Conselheiro Paulino, dia 26/07/2013 e para as agencia de Cantagalo e Bom Jardim, dia 29/07/2013. Nova Friburgo, 03 de julho de 2013. Max Jose Neves Bezerra – Presidente.      

AOS FUNCIONÁRIOS DA ATIVA E APOSENTADOS DO ITAÚ UNIBANCO



FAVOR DEVOLVER PREENCHIDO AO SINDICATO

Segue abaixo,  pesquisa aos funcionários da ativa e aposentados do Itaú Unibanco, para a eleição dos representantes na Fundação Itaú Unibanco, que será realizado entre os dias 13 à 22/07 até às 18:00hs, pelo site http:/www.fundacaoitauunibanco.com.br, ou por telefone, com senha que será enviada pelo correio.
A eleição é para escolher os representantes ao Conselho Deliberativo, Conselho Fiscal e Comitê de Planos. A Contraf-CUT e o Sindicato de Nova Friburgo e Região, apoia a chapa 1 Convicção e Experiência, porque é formada por companheiros(as) indicados pelo movimento sindical.


ELEIÇÕES FUNDAÇÃO ITAÚ-UNIBANCO

Nome:__________________________________________________________________
Nascimento: ______ / ______ / ______ Agência:________________________________
Telefones:_______________________________________________________________
E-mail:__________________________________________________________________
01 – Em que ano você entrou para o banco? __________________
02 – Você tem plano de Previdência Complementar?          (   )SIM          (   )NÃO
03 – Se você respondeu SIM, marque qual plano:
(   ) PGBL é VGBL
(   ) Plano Itaubanco CD
(   ) Plano PAC (Itaú antes)
(   ) Plano Futuro Inteligente (Unibanco)
(   ) Plano Itaubank (Banco Boston)
(   ) Plano Itaulam Básico
(   ) Plano Itaulam Suplementar
(   ) Plano Franprev (Francês e Brasileiro)
(   ) Plano Itaú BD
(   ) Plano Itaú CD
(   ) Plano Prebeg (BEG)
(   ) Plano de Benefícios 002 (Bemge)
04 – Quanto tempo de contribuição?
(   ) 01 a 02 anos
(   ) 03 a 05 anos
(   ) 06 a 08 anos
(   ) 09 a 11 anos
(   ) acima de 12 anos
05 – Você acompanha os informes e planilhas de seus rendimentos da Fundação Itaú Unibanco? 

(   ) SIM          (   ) NÃO

Negociação com HSBC traz resultados, mas precisa avançar muito mais


Jailton Garcia - Contraf-CUT Com objetivo de obter respostas à pauta específica de reivindicações entregue ao HSBC no último dia 19 de junho, a Contraf-CUT, federações e sindicatos se reuniram na manhã desta terça-feira (2), com a direção do banco inglês, em São Paulo
Durante a negociação, a instituição financeira apontou concordância com demandas como a criação da Comissão Paritária de Saúde, treinamentos internos oferecidos aos funcionários somente no período da jornada de trabalho, adiantamento de férias entre duas e cinco parcelas, bolsa auxílio-educação, folga nas datas de aniversário do funcionário e de tempo de casa, e planos (com mínimo de duas operadoras) de saúde e odontológico.

Essas conquistas já estavam em vigor, mas graças à pressão das entidades sindicais o banco concordou pela primeira vez em formalizá-las num Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), aditivo à Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) dos bancários, possibilitando a fiscalização efetiva do movimento sindical.

Segundo o secretário de Organização do Ramo Financeiro da Contraf-CUT, Miguel Pereira, o banco justificou que as essas reivindicações foram recebidas positivamente, pois não causam impacto econômico à instituição. Ele salienta que a pauta específica foi apresentada em momento propício, já que o banco está elaborando proposta de orçamento para o exercício de 2014.

O dirigente sindical ressalta que o banco se comprometeu a debater a viabilidade dos demais itens da minuta em nova rodada de negociação agendada para o próximo dia 30, já que o conjunto das reivindicações requer estudos de impactos econômicos.

Emprego
O HSBC não assegurou proteção nem garantias ao emprego, alegando que é uma medida que o banco não tem neste momento condição alguma de atender. Entretanto, a instituição acenou com a possibilidade de iniciar alguma tratativa nos moldes do comitê de clientes para debater questões relativas às condições de trabalho e atendimento.

"É inadmissível o banco continuar com a política de demissões, rotatividade e corte de vagas e não fazer as contratações necessárias, piorando as condições de trabalho e impactando na qualidade dos serviços", critica a diretora do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Liliane Fiúza. "O emprego permanece sendo uma prioridade", enfatiza.

Outro problema que permeia a legislação trabalhista e a Contraf-CUT está focada em combater é a terceirização, que está sendo expandida pelo banco. "Identificamos o aprofundamento no processo de terceirização no HSBC, como os correspondentes bancários que cresceram 600% em período recente, conforme dados do Dieese", alerta Miguel.

PPR
Em relação ao Programa de Participação nos Resultados (PPR), o HSBC solicitou que o assunto não fosse abordado na reunião, pois ainda não concluiu a análise do tema com o responsável pelo programa. O banco se comprometeu a agendar durante o mês de julho uma reunião específica para tratar da questão.

Segundo Miguel, além da importância da discussão do programa de remuneração, a Contraf-CUT se empenha para assegurar o compromisso de não compensação do programa próprio com a Participação nos Lucros e Resultados (PLR), prevista na Convenção Coletiva Nacional dos Bancários, conforme foi anunciado em 2012.

Desafios
Na avaliação do secretário de assuntos jurídicos da Contraf-CUT, Alan Patrício, o fato de o banco ter concordado com a formalização de um acordo aditivo é um significativo passo na questão da segurança jurídica dos atuais e futuros funcionários do banco. "Agora, os direitos não ficarão mais como mera liberalidade da empresa, podendo ser alternados ou suprimidos a qualquer momento. A partir de agora, o desafio será agregar novas conquistas", comenta Alan.

Para o coordenador da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do HSBC, Carlos Alberto Kanak, é importante retomar a mesa de negociação com seriedade e obter os primeiros encaminhamentos concretos neste momento em que o banco está elaborando a sua proposta orçamentária para 2014. "Isso é fruto da mobilização, cujo calendário de luta vai continuar para que possamos avançar muito mais", aponta.

Para o diretor da Fetec Centro Norte e do Sindicato dos Bancários de Campo Grande, Valdecyr Pereira Rios, o início das negociações sinaliza novas conquistas. "É fundamental também resolvermos os graves problemas relacionados às péssimas condições de trabalho existentes no banco", concluiu.


Fonte: Contraf-CUT

terça-feira, 2 de julho de 2013

Bancários do Rio e Espírito Santo definem propostas para Campanha Nacional


Delegação dos Sindicato dos Bancários de Nova Friburgo e Região

A 15ª Conferência Interestadual dos Bancários do Rio de Janeiro e Espírito Santo foi realizada no último sábado (29), no Senac de Guarapari, no litoral capixaba. Entre os principais discutidos estavam o combate ao substitutivo do deputado federal Artur Maia (PMDB-BA) ao Projeto de Lei 4330/04, do deputado Sandro Mabel (PMDB-GO), o atual contexto político pautado pelas manifestações populares nas ruas de todo o Brasil e a reestruturação do BB.

Os sindicalistas consideram a ampliação desenfreada da terceirização, proposta pelo projeto dos parlamentares peemedebistas, um ataque sem precedentes aos direitos trabalhistas e uma ameaça a própria existência e a organização coletiva das categorias de trabalhadores do país.

"Se depender da atual composição de forças do Congresso Nacional, os trabalhadores não vão conseguir avançar. Precisamos derrotar, com a mobilização popular, o PL 4330 e mais seis projetos em andamento no parlamento contra a classe trabalhadora", disse o diretor do Sindicato e da CUT/RJ, Marcello Azevedo.

Ele lembra que o movimento sindical nunca deixou de realizar protestos nas ruas. "A CUT fez seis marchas em Brasília e na pauta sempre incluímos itens como saúde e educação. Vamos intensificar as mobilizações nas ruas, onde nos criamos e de onde nunca nos ausentamos", acrescenta.

A 15ª Conferência Interestadual reuniu 530 delegados da base territorial dos dois estados e a jornada de debates durou desde as 9 horas até o início da noite.

Violência contra a mulher

Na abertura do evento foi passado um belo vídeo com imagens fortes sobre a violência contra a mulher no mundo. Segundo previsão do FBI (Federal Bureau of Investigation), o Departamento Federal de Investigação dos EUA, uma em cada três mulheres sofrerá algum tipo de violência na vida.

Almir Aguiar, presidente do Seeb-Rio, cobrou ainda igualdade de oportunidades nos bancos. "A mulher ganha menos que os homens numa mesma função e com o mesmo nível de escolaridade; e as mulheres negras são ainda mais discriminadas e recebem salários ainda menores", denuncia.

O que foi aprovado

Entre os principais itens de reinvindicações dos bancários, a 15ª Conferência Interestadual aprovou um reajuste salarial de 10 % mais a inflação do período e uma PLR de três salários mais R$ 4.500. Foi aprovado ainda o fim das metas e do assédio moral.

Os bancários identificaram também a necessidade de avaliação dos resultados práticos da cláusula da Convenção Coletiva de Trabalho que prevê mecanismos de combate ao assédio moral.

As propostas aprovadas serão agora levadas à 15ª Conferência Nacional.

Avaliação

O secretário de Organização do Ramo Financeiro da Contraf-CUT, Miguel Pereira, que é da base territorial do Sindicato dos Bancários do Sul Fluminense, sugere a realização da Conferência Interestadual em pelo menos dois dias. "Um dia tem sido impossível para aprofundar os debates da categoria", aponta.

Para Nilton Damião Esperança, vice-presidente da Federação, mesmo curta, a conferência foi positiva: “Todas as tendências e forças políticas tiveram suas opiniões respeitadas, discutidas e votadas democraticamente”, relata o sindicalista. Nilton ressaltou que a efervescência política que o país vive é positiva para as categorias que estão iniciando suas campanhas salariais. “O entendimento de todos que participaram da Conferência Interestadual foi de que a conjuntura atual favorece nossa campanha nacional. O momento é este, temos que aproveitar esta onda de politização para dizer para os banqueiros o que queremos: mais saúde e melhores condições de trabalho, mais segurança para bancários e clientes, fim da rotatividade, das metas e do assédio moral e um salário compatível com a lucratividade dos bancos e o empenho dos bancários. Isto nos dá muita disposição de luta para a Conferência Nacional e para construirmos uma greve forte”, avalia Nilton.

A Federação vai enviar 79 delegados e 8 observadores à Conferência Nacional dos Bancários, que acontece nos dias 19, 20 e 21 de julho. Ao todo, serão 600 delegados e 61 observadores, mais os 35 membros do Comando Nacional, totalizando 696 bancários de todo o país.

Fonte: Feeb RJ/ES, com Contraf-CUT e Seeb-Rio
Data: 01/07/2013



Contraf-CUT apoia Chapa 1 na eleição para a Fundação Itaú Unibanco

A Fundação Itaú Unibanco, que abriga os diversos planos de previdência complementar da instituição financeira, realiza entre os dias 13 a 22 de julho, até às 18h, eleição para escolha de seus representantes ao Conselho Deliberativo, Conselho Fiscal e Comitês de Planos. A Contraf-CUT apoia a Chapa 1 Convicção e Experiência.

"Apoiamos a Chapa 1 porque ela é formada por companheiros e companheiras indicados pelo movimento sindical. Alguns participam da eleição pela primeira vez e outros já têm experiência na direção da Fundação Itaú-Unibanco e são os principais responsáveis pelas mudanças dos últimos oito anos que melhoraram os benefícios dos participantes", afirma Jair Alves, da coordenação da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú.

Todos os participantes (ativos, autopatrocinados, optantes pelo BPD e assistidos) poderão votar de duas formas: pelo sistema eletrônico no site da entidade (www.fundacaoitauunibanco.com.br) ou por telefone, com senha que será enviada por correio aos participantes.

Além da Chapa 1 Convicção e Experiência, a Contraf-CUT também apoia candidatos avulsos aos Comitês de Gestão de todos os planos da Fundação Itaú-Unibanco. Confira abaixo a relação dos candidatos:

Conselho Deliberativo

Efetivos

Érica Monteiro de Godoy

André Luís Rodrigues

Suplentes

Carlos Maurício de Oliveira

Cesar Gomes Caldana


Conselho Fiscal

Efetivos

Mauri Sérgio Martins de Souza

Ted Silvino Ferreira

Suplentes

José Ribamar Don Pacheco

Onísio Paulo Machado

Comitês de Gestão dos planos

Franprev - Adriano Campos Rodrigues

Plano Itaubanco CD - Darci Torres Medina (Lobão)

PAC - Marcelo Abrahão

Futuro Inteligente e Itaubank - José do Egito Sombra

Prebeg - José Geraldo Martins

Benefícios 002 - Antônio Guimarães de Oliveira (Magaiver)

Fonte: Da Redação - FEEB-RJ/ES

Data: 01/07/2013