sexta-feira, 14 de setembro de 2012

AGENDA  DA CAMPANHA SALARIAL 2012/2013

17/09 -  ASSEMBLÉIA PARA ORGANIZAÇÃO DA GREVE.
18/09 -  ÍNICIO DA GREVE POR TEMPO INDETERMINADO

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

COMUNICADO AOS CLIENTES E USUÁRIOS DOS BANCOS [5]

AVISO DE GREVE

SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ESTABELECIMENTOS BANCÁRIOS DE NOVA FRIBURGO E REGIÃO, por seu Presidente, para cumprimento das exigências contidas na Lei nº 7.783/89, avisa a todas as Instituições Financeiras públicas e privadas, usuários de seus serviços e a população em geral, que os empregados pertencentes à categoria bancária, em assembleia realizada em 12/09/2012 deliberaram em paralisar suas atividades a partir da 00h00 do próximo dia 18/09/2012 por prazo indeterminado.

Nova Friburgo, 13 de Setembro de 2012.
Max José Neves Bezerra
Presidente

Sindicato dos Bancários de Nova Friburgo e Região
Há 62 anos em defesa dos trabalhadores e presente na luta!

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA


Hoje, 12/09 às 18:00h, no auditório do Sindicato.

Pauta:

-Avaliação e deliberação sobre a rejeição da contraproposta de 6% apresentada pela Fenaban no dia 28/08/2012.
-Deliberação a cerca de paralisação das atividades por prazo inderteminado apartir da 00h00 do dia 18/09/2012.

terça-feira, 11 de setembro de 2012



Assembleias dos bancários decidem nesta quarta greve a partir do dia 18

Por orientação do Comando Nacional dos Bancários, coordenado pela Contraf-CUT, os sindicatos realizarão assembleias em todo o país nesta quarta-feira 12 para aprovar a deflagração da greve por tempo indeterminado a partir do dia 18, diante do impasse nas negociações com a Fenaban. Novas assembleias serão realizadas no dia 17, para organizar a paralisação nacional.
O Comando Nacional considerou insuficiente a proposta dos bancos apresentada no dia 28 de agosto, de 6% de reajuste sobre todas as verbas salariais, o que significa aumento real de 0,58%. Em nova rodada de negociação realizada no dia 4 de setembro, a Fenaban frustrou a expectativa dos bancários e não apresentou nenhuma nova proposta, forçando o Comando a orientar os sindicatos pelo encaminhamento da greve.
A Contraf-CUT enviou carta à Fenaban na quarta-feira 5 de setembro para informar sobre o calendário de mobilização aprovado pelo Comando e reafirmar que os sucessivos resultados positivos dos bancos permitem atender às demandas dos bancários.
"Somente os cinco maiores bancos tiveram R$ 50,7 bilhões de lucro líquido em 2011, com uma rentabilidade de 21,2%, a maior do mundo. No primeiro semestre deste ano, as mesmas instituições apresentaram lucro líquido de R$ 24,6 bilhões, maior que em igual período do ano passado, mesmo com o provisionamento astronômico de R$ 37,34 bilhões para pagamento de devedores duvidosos, incompatível com a situação real de inadimplência", afirma ainda o texto, assinado por Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT.

Comando aguarda nova proposta até o dia 17

A Confederação conclui a carta ponderando que, "como sempre acreditamos no diálogo e apostamos no processo de negociações, aguardamos manifestação dessa Federação com uma nova proposta até o dia 17 de setembro, para que possamos submetê-la à apreciação das assembleias".
A Contraf-CUT acredita que, embora esteja disposta a encontrar uma solução na mesa de negociação, a categoria só alcançará avanços com um amplo processo de mobilização nacional. "Foi assim, com greves cada ano mais fortes, que os bancários conquistaram aumentos reais de salário e outros importantes avanços nos últimos oito anos. Temos que nos preparar", convoca Carlos Cordeiro.



As principais reivindicações dos bancários


● Reajuste salarial de 10,25% (aumento real de 5%).
● Piso salarial de R$ 2.416,38.
● PLR de três salários mais R$ 4.961,25 fixos.
● Plano de Cargos e Salários para todos os bancários.
● Elevação para R$ 622 os valores do auxílio-refeição, da cesta-alimentação, do auxílio-creche/babá e da 13ª cesta-alimentação, além da criação do 13º auxílio-refeição.
● Mais contratações, proteção contra demissões imotivadas e fim da rotatividade.
● Fim das metas abusivas e combate ao assédio moral
● Mais segurança
● Igualdade de oportunidades.

 Fonte: Contraf-CUT

segunda-feira, 10 de setembro de 2012



EDITAL ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA

Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Nova Friburgo e Região, inscrito no CNPJ/MF sob o nº 30.557.946.001-14, Carta sindical Livro nº 027, Página 023, Ano 1958 por seu presidente abaixo assinado, convoca todos os empregados em estabelementos bancários dos bancos públicos e privados, sócios e não sócios, da base territorial deste sindicato, para a assembleia geral  extraordinária   que  se   realizará dia 12/09/2012, às 18:00h, em primeira convocação, e às 18:30 h, em segunda convocação, no endereço à Praça Dermeval Barbosa Moreira 28 sala 208, para discussão e deliberação acerca da seguinte ordem do dia:1. Avaliação e deliberação sobre a rejeição da contraproposta apresentada pela FENABAN na reunião de 28/08/2012, à minuta de reivindicações entregue em 01/08/2012;2. Deliberação acerca de paralisação das atividades por prazo indeterminado a partir da 00h00 do dia 18/09/2012;Nova Friburgo, 06 de Setembro de 2012. Max José Neves Bezerra.


Bancos travam aumento real, mas engordam ganhos milionários dos diretores


Os bancos já recusaram elevar a proposta de reajuste de 6% que ofereceram aos bancários na mesa de negociação da Campanha Nacional, o que representa apenas 0,58% de aumento real, segundo o INPC, mas aumentaram em proporção muito maior a remuneração já milionária de seus diretores.
Segundo dados fornecidos pelas próprias instituições financeiras à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a remuneração média dos diretores estatutários de quatro dos maiores bancos (Itaú, Banco do Brasil, Bradesco e Santander) em 2012 será 9,7% superior à do ano passado, o que significa um aumento real de 4,17%. O estudo foi feito pelo Dieese - Rede Bancários.
A remuneração total dos diretores dos quatro bancos, que inclui as parcelas fixas, variáveis

e ganhos com ações, soma este ano R$ 920,7 milhões, contra R$ R$ 839 milhões em 2011. Cada diretor estatutário do BB embolsará este ano mais de R$ 1 milhão, os do Bradesco receberão R$ 4,43 milhões cada um, os do Santander R$ 6,2 milhões e os do Itaú R$ 8, 3 milhões.
Em contrapartida ao aumento imenso da remuneração dos altos executivos, os bancos pagam a seus trabalhadores no Brasil um dos piores salários da América do Sul. Pesquisa realizada pela Contraf-CUT junto a entidades sindicais sul-americanas mostra que o piso salarial dos bancários brasileiros é de R$ 1.250,00, o equivalente a US$ 681 (ou 5,68 dólares a hora trabalhada). No Uruguai, o piso salarial do bancário era US$ 1.089 (8,38 dólares a hora) e na Argentina o salário de ingresso é quase o dobro do brasileiro: US$ 1.200 (8 dólares a hora).



Pisos salariais dos bancários - Brasil,Argentina e Uruguai (*) Dados de agosto/2012. Elaboração: Dieese – Rede Bancários
País
Piso Salarial (US$)
Jornada de Trabalho
Salário/hora (US$)
Brasil
681,35
30h/semana
5,68
Argentina
1.200,00
37,5h/semana
8,00
Uruguai
1.089,63
32,5h/semana
8,38

"Vejam que situação perversa temos no Brasil. Aqui estão os maiores lucros dos bancos, inclusive dos estrangeiros, e também as maiores remunerações dos executivos. Por que os salários dos bancários brasileiros estão entre os menores?", questiona Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT e coordenador do Comando Nacional dos Bancários.
"São práticas absurdas como essas que tornam o Brasil um dos 12 países com a pior concentração de renda do mundo e a quarta pior na América Latina, ao mesmo tempo em que ostenta o sexto lugar no ranking das maiores economias. É inadmissível que isso continue", afirma Carlos Cordeiro.
As principais reivindicações dos bancários

● Reajuste salarial de 10,25%.
● Piso salarial de R$ 2.416,38.
● PLR de três salários mais R$ 4.961,25 fixos.
● Elevação para R$ 622 os valores do auxílio-refeição, da cesta-alimentação, do auxílio-creche/babá e da 13ª cesta-alimentação, além da criação do 13º auxílio-refeição.
● Fim das metas abusivas e combate ao assédio moral
● Mais segurança
Fonte: Contraf-CUT