sexta-feira, 5 de março de 2010

Contraf-CUT cobra PLR cheia do Itaú Unibanco. Negociação prossegue quarta

A Contraf-CUT e o Itaú Unibanco realizaram nesta sexta-feira, dia 5, nova negociação a respeito da Parti-cipação nos Lucros e Resultados (PLR). O debate não chegou a uma conclusão e uma nova rodada ficou a-gendada para a próxima quarta-feira, dia 10, também em São Paulo.
O movimento sindical manteve a reivindicação de pagamento integral da PLR para todos os bancários, al-cançando o teto de 2,2 salários limitado a R$ 14.696. A regra estipulada pelo banco definiu o pagamento da PLR no teto a apenas 46% dos trabalhadores, que estão na faixa salarial de até R$ 2.836.
A pedido dos trabalhadores, o banco realizou apresentação sobre o balanço da empresa. "Foi um debate técnico e que ainda não chegou ao fim. Continuamos cobrando o pagamento da PLR cheia para os traba-lhadores, o que vinha sendo uma tendência no banco. Se no ano passado, com um lucro menor, o banco pagou a PLR pelo teto porque esse ano seria diferente?", questiona Jair Alves, um dos coordenadores da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú Unibanco. (Fonte: Contraf-CUT)

BB atende revindicação da Contraf-CUT e paga PLR dia 10/03

Banco do Brasil atende reivindicação da Contraf-CUT e dos Sindica-tos e concorda em antecipar o pagamento da segunda parcela da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) para o dia 10/03/10
O Banco do Brasil anunciou para o próximo dia 10 o pagamento do valor da Participação nos Lucros e Re-sultados (PLR) referente ao segundo semestre de 2009. A informação foi repassada pela representação do BB à Contraf-CUT e ao Sindicato dos Bancários de Brasília em reunião ocorrida quinta-feira (4) para definir os parâmetros da distribuição da PLR. Segundo o negociador do banco, a data foi definida tendo em vista que o pagamento não pode ser realizado antes de distribuídos os dividendos do lucro aos acionistas, o que ocorrerá também no dia 10 de março.
O número total de bancários que terão direito a receber a PLR soma 95.720. O montante a ser distribuído pelo banco no segundo semestre é superior a R$ 770 milhões. Conforme o acordo firmado em 2009, o valor fixo da PLR é resultante da distribuição de 4% do lucro líquido do semestre (que foi de R$ 6,140 bilhões) mais a metade do valor da Fenaban, cabendo, assim, a cada funcionário R$ 3.049. A essa quantia some-se mais 45% do valor do salário paradigma ou do VR, conforme o caso. Os ocupantes de cargos de comissão receberão ainda o módulo bônus, de modo a complementar, no mínimo, dois salários. Os postos efetivos irão embolsar cerca de R$ 3.740 e o caixa cerca de R$ 4.100 (valores brutos).
Conforme reivindicado e negociado com o banco pela Contraf-CUT e sindicatos da Fetec-SP, os bancários oriundos da Nossa Caixa incorporados em dezembro de 2009 receberão o equivalente a um sexto desses valores. Adicionalmente foi garantido que no caso dos comissionados será pago o módulo bonus, conside-rando a média aritmética simples dos salários de cada função como o salário paradigma.
O secretário Geral da Contraf-CUT, Marcel Barros, e o coordenador da Comissão de Empresa dos Funcioná-rios do BB, Eduardo Araújo, informam, contudo, que os valores da PLR do segundo semestre de 2009 não estão completamente definidos, porque resta acertar os parâmetros para as agências que não cumpriram o acordo de trabalho. Segundo eles, isso será definido nos próximos dias. (Fonte: Seeb DF)

terça-feira, 2 de março de 2010

Caixa atende Contraf-CUT e paga segunda parcela da PLR nesta sexta

Atendendo a reivindicação da Contraf-CUT, a Caixa Econômica Federal a-nunciou nesta segunda-feira, 1º de março, que realizará o pagamento do valor restante da Participação nos Lu-cros e Resultados (PLR) nesta sexta-feira, dia 5.

Segundo cálculos da subseção do Diee-se na Contraf-CUT, os empregados da Caixa receberão a regra básica da Con-venção Coletiva de Trabalho nacional dos bancários (CCT) (90% do salário base mais R$ 1.024) e mais uma PLR Adicional, cujo valor ficará em torno de R$ 740 (dos quais R$ 532,90 já fo-ram pagos na antecipação).

Além disso, o acordo entre o banco e os trabalhadores prevê que a empresa garanta aos bancários um valor mínimo de PLR de acordo com o cargo ocupa-do pelo trabalhador, variando de R$ 4 mil até R$ 10 mil. Da PLR calculada com base no lucro auferido pelo banco em 2009, será descontada a primeira parcela já recebida pelos trabalhadores em 3 de novembro de 2009.

É importante lembrar que a Caixa op-tou por pagar antecipadamente a PLR integral em novembro de 2009. No en-tanto, as previsões de lucro disponíveis naquela ocasião e que foram utilizadas pelo banco para o cálculo trabalhavam com um resultado menor do que alcan-çado, levando a um redutor de 23% no valor pago aos bancários. Os emprega-dos receberão agora a diferença entre os dois valores.


Fonte: Contraf-CUT