quinta-feira, 30 de abril de 2009

EDITAL DE ASSEMBLÈIA GERAL EXTRAORDINÀRIA

O Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Nova Friburgo, por seu presidente, abaixo assinado, convoca todos os empregados de bancos da base territorial deste sindicato, para se reunir em Assembléia Geral Extraordinária que se realizará no dia 06 de maio de 2009, às 17h30 em primeira convocação e 18h, em ultima convocação, no Auditório da Entidade, situado à Praça Dermeval Barbosa Moreira, 28, sala, 208, Centro, Nova Friburgo, para discussão e deliberação a cerca da seguinte Ordem do Dia: 1- Eleição de Delegado para 13º CECUT – RJ– Congresso Estadual da CUT, que será realizado nos dias 19, 20 e 21 de junho de 2009. Nova Friburgo, 24 de abril de 2009. Max José Neves Bezerra – Presidente.

Trabalho, Renda e Direitos 1º DE MAIO DE LUTA PELO DESENVOLVIMENTO

Trabalho, Renda e Direitos

1º DE MAIO DE LUTA PELO DESENVOLVIMENTO

Neste 1º de Maio, a classe trabalhadora reivindica a defesa do emprego, da renda e dos direitos, levantando a bandeira do desenvolvimento, da justiça e da solidariedade contra os que transformaram a economia do planeta em um gigantesco cassino financeiro.

Ao longo dos anos, os países centrais e, particularmente os EUA, impuseram sua receita de Estado mínimo, privatização, corte nos gastos públicos e redução de direitos sociais, retirando montanhas de recursos da produção para a especulação. Agora, a orgia financeira cobra seu preço e, em meio à ressaca, os capitalistas que lucraram bilhões parasitando o suor e o sangue da classe trabalhadora tentam passar a fatura dos rombos que geraram para o nosso bolso. Não vamos pagar esta conta!

A globalização neoliberal e sua lógica excludente faliram. Neste momento de luta e superação, a melhor vacina contra os impactos negativos da crise internacional é a defesa do nosso mercado interno, do emprego, da renda e dos direitos sociais, trabalhistas e previdenciários dos brasileiros.

Para enfrentar as demissões, é preciso pisar firme no acelerador do crescimento. É necessário reduzir urgentemente a taxa básica de juros e o elevado spread bancário, direcionando os recursos que ainda são drenados aos especuladores para o investimento público e produtivo, investir na reforma agrária e potencializar a agricultura familiar. Precisamos de um Estado que atenda às necessidades do nosso povo, com serviços ágeis, eficientes e de qualidade, o que só se garantirá com uma política de valorização dos servidores. Exigimos contrapartidas sociais para a liberação de recursos públicos a empresas, reduzir a jornada de trabalho sem redução de salário, pôr fim à alta rotatividade da mão-de-obra com a ratificaçãoda Convenção 158 da OIT, que coíbe as demissões imotivadas.


A unidade é a chave da vitória!

- Defesa do emprego e da renda, fim das dispensas imotivadas, ratificação da Convenção 158 da OIT
- Corte nas altas taxas de juros
- Redução da jornada de trabalho sem redução de salário e sem retirada de direitos
- Reforma agrária e fortalecimento da agricultura familiar
- Investimento nas áreas sociais- Valorização dos serviços e dos servidores


Em Nova Friburgo

- Contra o aumento da passagem de ônibus
- Em defesa da saúde e educação pública gratuita e de qualidade- Pela construção de casas populares

CUT e Entidades Sindicais Filadas

terça-feira, 28 de abril de 2009

28 de Abril - Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes de Trabalho


A data comemorativa do 28 de Abril, surgiu no Canadá por iniciativa do movimento sindical, espalhando-se por diversos países, organizado por sindicatos, federações, confederações locais e internacionais.

Esse dia foi escolhido em razão de um acidente que matou 78 trabalhadores em uma mina no estado da Virgínia, nos Estados Unidos, no ano de 1969. A OIT, desde 2003, consagra a data à reflexão sobre a segurança e saúde no trabalho.

Em maio de 2005 o 28 de Abril foi instituído no Brasil como o Dia Nacional em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho, pela Lei nº 11.121.

Em todo o mundo milhões de trabalhadores se acidentam e centenas de milhares morrem no exercício do trabalho a cada ano. No Brasil, os números também são impressionantes: todos os anos, três mil trabalhadores morrem - uma morte a cada duas horas de trabalho - e outros 300 mil se acidentam - três acidentes a cada minuto trabalhado. O Anuário Estatístico da Previdência Social registra, em 2004, 465.700 acidentes de trabalho no País, em 2005 esse número chegou a 499.680, em 2006 503.890 e em 2007 (última publicação) o número atingiu 653.090 casos.

Todos os anos no Brasil são gastos bilhões em recursos públicos com os acidentes de trabalho, pois a parte majoritária da assistência é prestada pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e os benefícios por incapacidade temporária ou permanente, bem como as pensões por morte dos beneficiários, são arcados com os recursos do sistema de Previdência Social (RGPS).

Segundo estimativas da OIT, ocorrem anualmente no mundo, cerca de 270 milhões de acidentes de trabalho, além de aproximadamente 160 milhões de casos de doenças ocupacionais. Essas ocorrências chegam a comprometer 4% do PIB mundial. Cada acidente ou doença representa, em média, a perda de quatro dias de trabalho.

Dos trabalhadores mortos, 22 mil são crianças, vítimas do trabalho infantil. Ainda segundo a OIT, todos os dias morrem, em média, cinco mil trabalhadores devido a acidentes ou doenças relacionadas ao trabalho.

No Brasil, o 28 de Abril vem se consolidando como uma data do calendário do movimento sindical, de outras organizações sociais e do próprio governo federal. Em 2009 o mote escolhido pelas centrais sindicais CUT, CGTB, Força Sindical, NCST, UGT e CTB, é a "Reformular a Legislação para garantir a Saúde do Trabalhador". Propõe-se uma revisão na legislação, em especial na Lei 8.213/91, resultante de um entendimento de que são necessários ajustes para aprimorar os mecanismos de defesa da saúde dos trabalhadores, cobertura previdenciária adequada e estímulo aos empregadores para que haja investimentos em ambientes de trabalho saudáveis.

Essas propostas serão sintetizadas em um anteprojeto de Lei a ser subscrito pelos deputados federais Ricardo Berzoini e Pepe Vargas, cujas bases serão apresentadas no dia 28 de abril próximo, em uma atividade na Câmara Federal, para a qual contamos com a participação de entidades sindicais de todo o País e representantes de entidades da Sociedade Civil.

Na data faremos um grande debate sobre as propostas de alteração na Lei, bem como sobre as condições de trabalho nas empresas brasileiras e os problemas enfrentados pelos trabalhadores em seu dia-a-dia.

Depois disso o anteprojeto será construído a partir de um amplo debate com as entidades sindicais, especialistas no tema e os parlamentares envolvidos, para ser protocolizado na Mesa Diretora da Câmara Federal ainda no primeiro semestre de 2009 e vai exigir muita mobilização das entidades sindicais e demais militantes da Saúde do Trabalhador para ser aprovado e contribuir assim para a melhora dos ambientes de trabalho no Brasil e a conseqüente redução de estatísticas tão alarmantes.


"Reformular a Legislação para garantir a Saúde do Trabalhador"


Fonte: Contraf/CUT