Quem sou eu

Minha foto
Nova Friburgo e Região, Rio de Janeiro, Brazil
Fundado em 29/11/1949, a Associação Profissional dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Nova Friburgo (RJ)Janeiro, atualmente é o Sindicato dos Bancários e está comprometido com a luta dos trabalhadores e trabalhadoras e movimentos sociais, na busca por uma sociedade menos desigual. Desde 2002, somos filiados a Central Única dos Trabalhadores (CUT), a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) e a Federação dos Bancários dos Estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo (FEEB-RJ/ES). A atual Diretoria Executiva foi eleita para o mandato 2014/2018 tem a seguinte composição: MAX José Neves Bezerra - Presidência; LUIZ GABRIEL Almeida Velloso - Secretaria Geral; Antônio DALBERTO Louback - Finanças LUIZ CLAUDIO Martins Queiróz - Assuntos Jurídicos; LUCIMAR Gomes da Silva - Bancos Públicos; José EDUARDO MARCHETTI Alvarez - Imprensa RICARDO Thomaz Lontra - Saúde, além de MARIZA Teixeira Pereira que atua no nosso Dept° Jurídico.

terça-feira, 12 de novembro de 2019

Todos os empregados da Caixa devem votar na eleição para o Conselho de Administração

O resultado do primeiro turno será divulgado no dia 22 de novembro no Portal do Empregado

Todos os empregados da Caixa Econômica Federal ativos, com contrato de trabalho não suspenso, mesmo que de férias, podem votar na eleição para representantes dos trabalhadores no Conselho de Administração da Caixa, que vai ocorrer entre os dias 18 e 22 de novembro.
É fundamental que o trabalhador faça sua escolha entre os 191 candidatos para eleger um representante que realmente defenda os interesses dos empregados. A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e as demais entidades representativas dos trabalhadores apoiam a candidatura à reeleição da atual conselheira, Rita Serrano.
A unidade que estamos vendo nesse momento representa a força da candidatura da Rita Serrano, o reconhecimento do trabalho que ela vem fazendo no Conselho de Administração. A campanha não vai ser fácil, porque a direção da Caixa não vai querer a reeleição da conselheira, por conta do enfrentamento que vem realizando”, ressaltou o secretário de Finanças da Contraf/CUT, Sergio Takemoto.

Eleição

O resultado do primeiro turno será divulgado no dia 22 de novembro no Portal do Empregado. Caso nenhum candidato obtenha 50% mais um dos votos, haverá segundo turno de 2 a 6 de dezembro.
A eleição será realizada pela rede do banco. O empregado deverá acessar eleicaoca.caixa, usando sua matrícula e senha.

CA Caixa

O Conselho de Administração é a principal instância decisória do banco. Define as políticas de atuação da empresa. Na Caixa, possui oito membros:  o presidente do banco, seis conselheiros indicados pelo Ministério da Economia e um eleito.
Conquista histórica dos trabalhadores, como resultado da luta das entidades sindicais e associativas de todo o país, a eleição de representante dos empregados na Caixa tornou-se realidade a partir de 2013, quando ocorreu o primeiro pleito.
O papel do conselheiro eleito é representar os anseios dos trabalhadores, defender a integridade do banco e fiscalizar as ações da gestão. Podem participar do pleito empregados da Caixa que tenham formação escolar e profissional condizente com o cargo e outros critérios previstos no estatuto do banco. O eleito não pode participar das pautas que tratam das relações de trabalho.

Rita Serrano

Empregada da Caixa desde 1989, Rita Serrano participa do CA desde 2014, quando ocupou o cargo de suplente, sendo eleita titular em 2017. Mestre em Administração e graduada em Estudos Sociais e História, a atual conselheira tem longa trajetória no movimento sindical e social. Foi presidente do Sindicato dos Bancários do ABC entre 2006 e 2012, coordena desde 2015 o Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas e atualmente faz parte do Conselho Fiscal da Fenae.

Um grande marco da nossa gestão foi ter conseguido impedir que a Caixa se tornasse S.A. (sociedade anônima) por duas vezes. A primeira por conta do Projeto de Lei 555, quando liderei, por meio do Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas, o processo contra a aprovação do projeto. E, em seguida, no debate da mudança estatutária da Caixa, em 2017, pois conseguimos articular uma grande frente nacional e a iniciativa foi derrotada”, relatou a conselheira.

Fonte: Contraf-CUT

8º Fricine - Festival Internacional de Cinema Socioambiental





PROGRAMAÇÃO FRICINE 2019

13/11 - QUARTA-FEIRA
.
>>> TEATRO MUNICIPAL LAÉRCIO R. VENTURA <<<
.
14:00 - LONGA -  competitiva programa 1 (82 min)
•   IDADE DA ÁGUA (Age of Water), dir. Orlando Senna – doc -  82’-  2018 - Brasil
.
19:00 - FILME CONVIDADO 
•   FIO DA MEADA, dir. Sílvio Tendler - doc - 77'- 2019 - Brasil
.
21:00 - SHOW MUSICAL 
•   TRIO DAS QUARTAS - Show musical com Renato Aroeira (Sax e voz); Kiko Chaves (violão de 7 cordas e voz);  Silvana Agla (violoncelo e voz) - tocando e cantando boleros, músicas francesas, bossas, choros  e conversando com o público sobre a história da música brasileira, contando uma anedota ou outra... 

14/11 - QUINTA-FEIRA 
>>> OAB <<< 
10:30 - FILME & DEBATE - "SEGURANÇA PÚBLICA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO"  
•   INTERROGAÇÃO (ou Psicopata Legalizado)", dir. Moisés Pantolfi – ani – 1' – 2019 – Brasil *
•   PALESTRA DO DR. RAFAEL BORGES 
.
>>> TEATRO MUNICIPAL LAÉRCIO R. VENTURA <<<
13:30  - CURTAS  -  competitiva programa  2  (76 min)

•   EDEN (Edén) , dir. Rodrigo Canet e Eva Urbano– animação – 4’- 2019 - Espanha
•   CRISES,(Crisis), dir. Cesare Maglioni - doc - 1'- 2019 - Espanha/França
•   QUERO SER FELIZ (I Want To Be Happy), dir. Junior Vieira – docdrama – 6:31”- 2019 – Brasil 
•   A VIAGEM DE ÍCARO, dir. Kaco Olimpio e Larissa Fernandes - ficção - 18'- 2018 - Brasil
•   A ERA DE LAREOKTÔ (The Lareokotô Era), dir. Rita Carelli – doc – 20:30”- 2019 – Brasil
•   POÉTICA DE BARRO, dir. Giuliana Danza - animação - 6'- 2019 - Brasil 
•   DIREITOS  E  HUMANOS (Derechos y Humanos), dir.Ignacio Ibarra - Doc - 20' - 2019 - Argentina 
•   ONDE VOCÊ VAI, HOMERO, COM SEU CASACO VELHO? (A donde vas, Homero, con tu abrigo viejo) dir.Leandro Gutierrez Cariñanos (KRAK) - ani - 3'- 2018 - Espanha 
•   TEMPO É ÁGUA - Fernando Cola - doc - 14'- 2018 - Peru/Argentina/Dinamarca

.
>>>ACIANF<<< (Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Nova Friburgo)  

14:30  - OLHARES SOBRE PORTUGAL - Programa especial 1 (135 min)
• VIAGEM AO PORTUGAL PEQUENO, dir. Luiz Rosati, doc - 65'- 2018 - Brasil
• BOSTOFRIO, ONDE O CÉU ENCONTRA A TERRA, dir. Paulo Carneiro – doc – 70’- 2018 – Portugal 

.
>>> TEATRO MUNICIPAL LAÉRCIO R. VENTURA <<<
.
15:30 - CURTAS & MÉDIA - competitiva programa 3  (78 minutos)
•   CAIXÃO DECOTADO (Coffin Decolleté) , dir.  Nancy Kamal - ficção - 6'- 2019 - Egito 
•   A GAIVOTA (The Seagull) , dir. Mane Baghdasaryan - exp - 20:43 -2019 - Armenia 
•   FORDLANDIA MALAISE , dir. Susana De Sousa Dias - Doc - 41'- 2019 - Portugal

.
17:30 - LONGA - competitiva programa 4 (78 min)
•   ATRÁS DA ÍNDIA: Um olhar dos seus movimentos sociais, dir. Fernando V. Moreno - doc - 78' - Espanha
.
19:30 - LONGA - competitiva programa 5 (99 min)
•   DANÇA DA VIDA, dir. Peyman Zandi – doc – 70’- 2019 - Iran 
.
15/11 - SEXTA-FEIRA

>>> TEATRO MUNICIPAL LAÉRCIO R. VENTURA <<<

10:30 - FILME & DEBATE - ERVAS MEDICINAIS
•   YUYOS", dir  Michal Krawczyk & Giulia Lepori,- doc - 77'- 2018 - Itália*
.
13:30 - CURTAS  - competitiva programa  6 (97 min)
• A TRADICIONAL FAMILIA BRASILEIRA KATU, dir.Rodrigo Sena – doc – 25’- 2019 – Brasil 
•   QUILOMBO MATA CAVALO, dir. Jurandir  Amaral  - doc - 16'- 2018 - Brasil
•   O MONTE, dir. Cláudia Claremi - ficção - 13'- 2017 - Cuba
•   O RIO DOS KUKAMAS ), dir. Nika Belianina - doc - 7'- 2018 - Perú
•   UM DE NÓS (Odin iz nas) ), dir. Eduard Boolgar – doc – 14’- 2018 – Rússia
•   A CERCA (The Fence) , dir. Ali Zare Ghanatnowi - animação - 2'- 2019 - França
•   LENINGRADO, LINHA 41, dir. Dênia Cruz – doc – 20’ – 2017 - Brasil

15:30 - CURTAS & MÉDIA - competitiva programa 7 ( 82 min)
•   DIRITI DE BDÈ BURÈ , dir. Silvana Beline - doc - 18'- 2018 - Brasil
•   VOZES DA MONTANHA SAGRADA (Voices From The Sacred Mountain), dir. Fernando Cola - doc -12'- 2018 - Colombia/ Argentina/Dinamarca
•   POR TRÁS DAS CÂMERAS (Los Hilos del Tablero), dir. Colectivo Miradas- doc-52'-2018 - Espanha/Venezuela
.
17:30 - CURTA & MÉDIA - competitiva programa 8 (75 min)
•    UMA ANDORINHA ATRÁS DA ALAMBRADA-, dir. Santiago Aldunate - doc - 25'- 2019 - Chile
•   SAÚDE! VELHO CHICO (Long Life! São Francisco River), dir. Stella Oswaldo Cruz Penido & Eduardo Vilela Thielen – documentário – 52’- 2018 - Brasil
.

20:00 - LONGA - Programa Especial 2 (132 min)
•  BACURAU , dir. Kleber Mendonça e Juliano Dornelles - fic - 132'- 2019 - Brasil
.
16/11 - SÁBADO

>>> TEATRO MUNICIPAL LAÉRCIO R. VENTURA <<<
10:30 - FRICINE no FEMININO  - PERSPECTIVAS PARA UM MUNDO MELHOR.Protagonismo Feminino e Reações Obscurantistas. Feminismo, Feminicídio, Machismo, Igualdade De Direitos...  (filme & debate)
.
•   NA BOCA DE TODAS, dir. RAMA (Red Argentina de Mujeres de la Animación) - animação - 1'- 2018 - Argentina.*  (exibição seguida por debate).
.
13:30  - CURTAS competitiva programa 9 (81 min)
•   El MALABARISTA, dir. Iuri Moreno - animação - 11'- 2018 - Brasil
•   A ORIGEM  (El Orígen) , dir. José Antonio Campos Aguilera - ficção - 10'- 2018 - Espanha
•   AS MENINAS SÃO LEGAIS (The Girls Are Alright), dir. Gwai Lou - ficção - 15'- 2019 - Malasia
•   RESPIRAÇÃO (Tanafos), dir. Farshid Ayoobinejad - ficção - 13'- 2018 - Iran
•   THINYA, dir. Lia Leticia Ferreira Leite – ficção – 16:09"-  2019 - Brasil
•   LUA DE SANGUE MINEIRA, dir. Jaime García Parra - ficção - 11' -  2019 - Espanha
•   ANGELITO, dir.  Gonzalo G. Undurraga - ficção - 4' - 2018 - Espanha 

.
15:30 - CURTAS - competitiva programa  10 (96min)
•   SIRUMI, dir.Thiago Camargo– ficção – 18’46” – 2018 - Brasil
•   CAPITÃO KINESIS (Capitán Kinesis), dir. Carles Jofre - ficção - 11'- 2019 - Espanha
•   ONDE NÃO PODES CHEGAR(Donde no puedes llegar), dir. Marc Nadal - ficção - 15' - 2019 - Espanha
•   BELLATRIX, dir. Lucas Costanzi – documentário – 52’- 2019 – Brasil
.
17:30 - CURTA & MÉDIA - competitiva programa  11 ( 87 min)
•   VOZES DA PROVÍNCIA - (Elet Unu), dir. Asel Sydykova – documentário -15’- 2018 – Kyrgystão
•   MUJER. SE VA LA VIDA, COMPAÑERA! , dir.  Mariana Rivera - Doc -  61' - 2018 - México

.
19:30 - CURTA E LONGA competitiva programa  12 (85min)
•   QUEBRANTAHUESOS, LAS BARBAS DEL VIENTO, dir. Manuel Mateo Lajarin - doc - 9' - 2019 - Espanha
•   A UMA LÉGUA - dir. Andrea Krujoski  - doc - 76' - 2019 - Argentina

.
17/11 - DOMINGO 
.
>>> TEATRO MUNICIPAL LAÉRCIO R. VENTURA <<<
.
14:00 - LONGA  - competitiva programa  13 (92 min)
•   CUILLI & MACUILLI, OS FILHOS DO JAGUAR  , dir.Arturo Sanchez - Ficção - 92'- 2019 - Mexico

.
16:00 - LONGA  - competitiva programa  13 (92 min)
•  HOLY BOOM, dir. Maria Lafi - ficção - 99' - 2018 - Grécia
.
18:00 - MOSTRA ESPECIAL
•    "EU E A TERRA QUE HABITO" 
Exibição de curtas-metragens produzidos e realizados por alunos de 6 escolas do ensino público e privado de Nova Friburgo, como resultado de oficinas, ministradas pelo roteirista e editor Alan Andrade, com coordenação do Prof. Manoel Espedito, a partir de redações com o tema "Eu e a Terra que Habito". O projeto e as oficinas contaram com os importantíssimos apoios e participações das escolas Miosótis; EE. Dr. João Bazet; EE Augusto Spinelli; CEFFA Flores; CEJA; N. Sra das Dores.

.
19:30 - PREMIAÇÃO e ENCERRAMENTO

Consulte diariamente: Programação sujeira a alteração 

Check schedule daily: Programme is subject to change

 >>>>>>>>>>>>MOSTRA PARALELA <<<<<<<<<<<<<<<

Lucro do Banco do Brasil atinge os R$ 13,2 bilhões em nove meses



Resultados comprovam que não há motivo para vender o banco, 
nem suas subsidiárias

O Banco do Brasil obteve lucro líquido ajustado de R$ 13,2 bilhões, nos primeiros nove meses de 2019, crescimento de 36,8% com relação ao mesmo período de 2018. Segundo o banco, o resultado do trimestre foi influenciado pelos aumentos da margem financeira bruta e da recuperação de crédito, que impactaram na redução da despesa com provisões para devedores duvidosos (PDD). O retorno sobre o patrimônio líquido (RPSL) ajustado cresceu 3,1 pontos percentuais em doze meses, ficando em 14,9%.

“O BB apresenta lucro em cima de lucro e é altamente rentável. Os resultados comprovam que não existe qualquer motivo para que o governo insista em vender o banco, seja a empresa mãe, seja as subsidiárias”, afirmou o coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB), João Fukunaga. “A única justificativa seria a existência de interesses escusos, que não podem ser revelados para a sociedade”, completou.

Tarifas, agências e emprego

As receitas com prestação de serviços e tarifas bancárias cresceram 7,3% em um ano, alcançando R$ 21,7 bilhões, enquanto, as despesas com pessoal, incluindo o pagamento da PLR, cresceram 11,7% no mesmo período, totalizando a R$ 18,5 bilhões. Assim, a cobertura dessas despesas pelas receitas secundárias do banco foi de 117,06% em setembro de 2019.

“Somente com o montante das tarifas que o banco cobra de seus clientes, que é irrisório perto do que o banco arrecada com outras fontes de receita, ele consegue pagar toda a folha de pagamento e ainda sobra 17,06%”observou Fukunaga. “As tarifas estão altas, os funcionários estão sobrecarregados e são mal remunerados. Isso é o que dá para perceber analisando esse dado”, completou.

Ao fim do 3º trimestre de 2019, o BB contava com 93.872 funcionários. O quadro de funcionários sofreu uma redução de 3.360 postos de trabalho em doze meses. Segundo análise realizada pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), a grande redução do quadro de funcionários se deve ao Programa de Adequação de Quadros (PAQ), anunciado ao final de julho de 2019, e que, de acordo com o relatório do banco, resultou no desligamento de 2.367 funcionários, gerando uma despesa de R$ 250 milhões. No período, também em função do PAQ, foram fechadas 462 agências e abertos 98 postos de atendimento.

“A população é fortemente afetada tanto pela redução do quadro de funcionários quanto pelo fechamento de agências. É cada vez maior o número de cidades brasileiras sem qualquer tipo de atendimento bancário. Além de ter que se deslocar por grandes distâncias até encontrar uma agência, quando encontra as pessoas precisam enfrentar grandes filas em função da falta de funcionários para prestar atendimento”, explicou o coordenador da CEBB. “A população mal atendida e os funcionários estressados, sobrecarregados e sob grande pressão são as consequências desta política adotada pela atual gestão, que prejudica a população e leva os trabalhadores ao adoecimento”, concluiu Fukunaga.

Crédito

A carteira de crédito ampliada diminuiu 0,7% em doze meses, totalizando saldo de R$ 686,7 bilhões. Em relação ao trimestre anterior a carteira permaneceu estável. O crédito para Pessoa Jurídica teve queda de 5,4% em relação a setembro de 2018, com redução maior nas linhas para Grandes Empresas (-17,8%) e Governo (-1,4%). O destaque positivo no segmento PJ ocorreu nas linhas de financiamento para Micro, Pequenas e Médias Empresas (alta de 8,9% no período). O crédito para Pessoa Física cresceu 9,3% em doze meses, totalizando R$ 209,6 bilhões e com destaques para os empréstimos pessoais (alta de 73,2%) e o crédito renegociado (crescimento de 17,2%), enquanto o microcrédito caiu 13,5% e as linhas de financiamento a veículos tiveram queda de 5,1% em doze meses. A carteira de crédito para o Agronegócio (que representa 65,1% do segmento no país) caiu 3% em doze meses, chegando a R$184,5 bilhões.

As despesas com provisão para créditos de liquidação duvidosa (PCLD) caíram 4,1% em relação a setembro de 2018, totalizando cerca de R$ 14,7 bilhões. O índice de inadimplência para atrasos superiores a 90 dias foi de 3,47%, com queda de 0,66 pontos percentuais em relação a junho de 2018.




Fonte: Contraf-CUT

Contraf-CUT solicita informações sobre revisões na política interna do Santander

Banco emitiu comunicado pessoal ameaçando funcionários que não aderirem a uma campanha de desestímulo do uso de plástico descartáveis; texto diz que banco revisou política interna para permitir punições


O banco Santander emitiu um comunicado pessoal ameaçando funcionários que não aderirem a uma campanha do banco que desestimula o uso de embalagens plásticas descartáveis. “Muitos ainda não entenderam que não se trata de algo opcional: o plástico de uso rápido está proibido em nossas instalações”, diz o comunicado, para em seguida ameaçar: “A partir de agora, inclusive, o uso ou posse de utensílios plásticos descartáveis, em 100% de nossos prédios administrativos, será considerado falta grave e, para isto, já revimos nossa política interna”.


“Apoiamos a campanha de desestímulo ao uso de embalagens plásticas descartáveis. Mas, não podemos aceitar ameaças aos funcionários que não aderirem a uma campanha do banco, uma vez que não existe qualquer tipo de lei que proíba o uso pessoal de descartáveis”, disse o secretário de Assuntos Socioeconômicos e representante da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) nas negociações com o banco, Mario Raia. “A mensagem, da maneira como foi transmitida, pode configurar assédio moral, mas, mais do que isso, mostra a maneira desrespeitosa com que o banco trata seus funcionários”, completou.

A mensagem causou incômodo e apreensão em muitos funcionários, que temiam represálias e punições. O banco negou que haverá punição, advertência, demissão ou falta administrativa contra bancários que continuarem utilizando utensílios e embalagens de plástico.

Mario informou que a Contraf-CUT vai solicitar informações ao sobre as revisões da política interna, alegadas na mensagem, para considerar “falta grave” o uso ou posse de embalagens descartáveis nas dependências do banco.

“Queremos saber o que é considerado falta grave, quais serão as penalidades e em quais leis o banco se baseia para aplicar as punições aos funcionários que não aderirem à campanha”, informou o dirigente da Contraf-CUT.

Fonte: Contraf-CUT

quarta-feira, 6 de novembro de 2019

Itaú lucra mais de R$21 bi com demissões e fechamentos de agências

COE reivindica melhor distribuição de renda e contratações




O Itaú lucrou R$ 21,067 bilhões nos nove primeiros meses de 2019, um crescimento de 9,4% em relação ao mesmo período de 2018 e de 1,7% no trimestre. Ao final de setembro de 2019, como aponta os destaques do Dieese, a holding contava com 83.536 empregados no país, com fechamento de 3.534 postos de trabalho em doze meses. No segundo trimestre deste ano, o banco lançou um Programa de Desligamento Voluntário (PDV), ao qual segundo comunicado, atingiu 3,5 mil adesões, gerando uma despesa não recorrente de R$ 2,4 bilhões. Além do PDV, de acordo com o relatório do banco, a redução anual do quadro de colaboradores no Brasil deve-se, também, ao encerramento de agências físicas. Em doze meses, foram fechadas 201 agências físicas e abertas 23 agências digitais, totalizando 3.330 e 196, respectivamente. O banco anunciou que o saldo de agências fechadas em 2019 deve chegar a 400.


Para Jair Alves, coordenador da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú, cabe aos funcionários cobrarem uma melhor distribuição da renda deste lucro. “O banco obteve esse lucro devido à redução das agências físicas e o aumento das agências digitais, além da redução no número de funcionários. A diminuição do número de trabalhadores significa aumento da carga de trabalho. Está na hora de o banco contratar. Quem ficou, não pode ficar sobrecarregado.

Jair disse que a COE vai cobrar mais contratações e melhor distribuições dos lucros. “Nós queremos uma melhora dos programas que o banco tem. Os temas já estão na pauta das negociações que estão acontecendo. Uma das reivindicações, é um pagamento proporcional dentro do AGIR, que atualmente não existe. Não é nada mais justo que os funcionários ganhem proporcionalmente a que ele entrega”, completou.

De acordo com o banco, o crescimento da margem financeira com clientes, devido ao crescimento das carteiras de pessoas físicas e de micro, pequenas e médias empresas; a evolução da receita de prestação de serviços; e a retomada do crescimento do segmento de grandes empresas após quatro trimestres consecutivos foram os principais destaques positivos. O retorno recorrente sobre o Patrimônio Líquido médio anualizado (ROE) cresceu 1,8 pontos percentuais em doze meses, ficando em 23,5%.

A Carteira de Crédito do banco apresentou crescimento de 8,3% em doze meses e 4,4% no trimestre, atingindo R$ 689 bilhões. As operações com pessoas físicas (PF) cresceram 15% em relação a setembro de 2018, chegando a R$ 229 bilhões, com destaque para cartão de crédito (+21,4%), crédito pessoal (+19,8%) e veículos (+18%). As operações com pessoas jurídicas (PJ) no país somaram R$ 188,1 bilhões, com alta de 9,9% em doze meses. Veículos (+104,4%), Capital de Giro (+18,4%) e o Crédito Rural (+10,9%) foram os destaques no segmento PJ. Dentre os segmentos que representam, em grande parte, crédito para grandes empresas, o Financiamento à Exportação/Importação apresentou alta de 7,8%, os demais apresentaram queda. A carteira de crédito para a América Latina apresentou queda de -0,8% no período. O Índice de Inadimplência superior a 90 dias, no país, caiu 0,1 pontos percentuais, ficando em 3,4%. Por sua vez, as despesas com provisão para devedores duvidosos (PDD) cresceram 24%, totalizando R$ 14 bilhões.

A receita com prestação de serviços e tarifas bancárias cresceu 3,8% em doze meses, totalizando R$ 29,4 bilhões. As despesas de pessoal, por sua vez, subiram 17,3%, somando, aproximadamente, R$ 20,6 bilhões. Com isso, a cobertura destas pelas receitas secundárias do banco foi de 143% no período.


Palavra do Presidente

A tecnologia avança junto com o desemprego e a exploração.

No vocabulário atual,  palavras como coletividade e companheirismo foram substituídas por competitividade e individualismo.

Transformaram o ambiente de trabalho em local de disputa ao invés de convívio harmonioso.

E quando a categoria sabe que o banqueiro mor sinaliza que fechará agências, significa que demissões virão e estas serão previamente acompanhadas de assédio. Será o caos!

Mas a velha ladainha já está pronta e será a mesma  de sempre que é o mercado, a tecnologia e coisa e tal.

Alguém se perguntará: - Mas e a ética?

Está lá nas circulares...

Finalizo com um bordão da nossa Campanha Nacional 2016 que vale a reflexão de todos.




Max José Neves Bezerra
Presidente SEEB Nova Friburgo e Região
WhatsApp + 55 22 98126-4790
Twitter: @maxxbezerra